MURILO RESENDE FERREIRA ASSASSINA RALSKONIKÓV

MURILO RESENDE FERREIRA é o nome do rapaz que irá cuidar do Inep, portanto do Enem. É olavoide, aluninho do Guru e Mestre dos Mestres, Olavo de Carvalho. Só conseguiu essa boquinha por causa disso: aluno do Olavo e amigo do ministro da educação, Veléz Rodríguez, até então um obscuro filósofo que ninguém lera, como é de praxe entre os olavoides.

Murilo Resende Ferreira escreveu um artigo na Gazeta do Povo, “O jacobino hermenêutico e a liberdade de matar”, sobre o aborto. Já deixo claro que sou contra o aborto. Não é esse o problema do artigo.

O problema é o trecho que reproduzo abaixo, sobre Dostoiévski. O Senhor do Inep, Enem e Adjacências deturpa o escritor russo ao seu bel-prazer apenas para que sua obra, no caso Crime e Castigo, concorde com a excrescência ideológica que defende.

murilo resende ferreira

Diz que Ralskonikóv é um “típico estudante esquerdista”. Bobagem de leitor superficial, raso e ignorante. Não entendeu blicas a posição de Ralskonikóv, que nada tem a ver com a “esquerda”. Ele, a personagem, divide os homens entre “Napoleão ou piolhos”, sendo que Napoleão não deve nenhuma justificativa moral à humanidade quando mata um piolho. Ou a ignorância é minha: até hoje não sabia que Napoleão era de esquerda, ora que coisa.

Depois, comete um desvio histórico que, se não foi por ignorância, o é por canalhice: diz que Dostoiévski bebe em Nietzsche e seu Übermensch. Acontece que Crime e Castigo foi publicado em 1866; Nietzsche publicou seu primeiro livro em 1872. Mesmo depois dessa obra não há, em nenhuma obra do velho russo, a menor referência ao maluco alemão.

Alguém aí na terceira fila pode dizer que isso que eu escrevo agora é “preciosismo”, um errinho tolo do cara. Não é. É a assinatura do atestado de arrogância, ao falar de algo que não conhece; é o reconhecimento da própria limitação ao analisar o que não leu, ou, se leu, leu mal e usando filtros ideológicos inadequados. Não espero, por parte de alguém que irá atuar diretamente com a educação de nossos jovens, nada menos do que a capacidade de ler e compreender um texto. Mais e melhor: a capacidade de não ser canalha, inculto, parcial, manipulador e medíocre.

Mas estamos falando de um aluno de Olavo de Carvalho, pois não? Como exigir que não seja canalha, inculto, parcial, manipulador e medíocre?

[https://www.gazetadopovo.com.br/…/o-jacobino-hermeneutico…/…]

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s